Éleos de Aquiles segundo a teoria aristotélica das emoções

Luiz Otávio Mantovaneli

Resumo


Motivado pelos recentes estudos sobre o papel das emoções na cognição humana, este trabalho investiga a éleos exibida por Aquiles ao final da Ilíada. A escolha do herói se deve ao fato de ele ser o mais passional dos heróis gregos e a escolha de éleos se justifica pelo seu papel de contraponto na trama do poema, já que sua abertura propõe cantar a mênis do herói e entretanto é éleos a emoção que o encerra. Devido a sua rica investigação sobre as emoções em Retórica, Aristóteles desponta como a chave de leitura que guiará o acompanhamento da trajetória emocional sofrida por Aquiles ao longo da epopeia.


Palavras-chave


psicologia, poesia, filosofia, emoção, ação, cognição éleos, Homero, Aristóteles.

Texto completo:

PDF

Referências


Aristóteles. Nicomachean Ethics. Tradução de H. Rackham. Loeb Classical Library, Harvard University Press, 2003.

_________. De Anima. Apresentação, tradução e notas de Maria Cecília Gomes dos Reis. Editora 34, São Paulo, 2006.

_________. Retórica. Prefácio e Introdução de Manuel Alexandre Júnior. Tradução e notas de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. Imprensa Nacional – Casa da Moeda. Lisboa, 2006.

Homero. Ilíada. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Ediouro. Rio de Janeiro. 2001.

Romilly, J. Heitor. Éditions de Fallois, Paris, 1997.

Seagal, C. The theme of the mutilation of the corpse in the Iliad. Mnemosune, Leiden. 1971.

Viano, C. Le paradigme des passions: Aristote et les définitions non physiques de la colère. Journal of Ancient Philosophy, São Paulo, vol 8, n.1, pp 1-19, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Luiz Otávio Mantovaneli